Pular para o conteúdo principal

Investir, Precificar e Lucrar


Muita gente não sabe por onde começar. Precificar as peças e artesanato gera dúvidas e, mais do que isso, inseguranças: se a confiança no investimento e no lucro a ser recebido por cada peça vendida também diminui. A solução para isso é entender melhor o processo de precificação e aprender a enxergar outros aspectos relacionados ao investimento no artesanato.

Segundo o consultor de Marketing Digital, Glauber Moraes, especializado em artesanato, a principal dificuldade está na hora de dividir os custos fixos e custos de horas de cada peça artesanal. “O preço final não é baseado somente no custo da matéria-prima. O tempo gasto para produzir, custos fixos como luz, água e até mesmo aluguel de espaço devem entrar nessa conta”, afirma Moraes. Outra situação recorrente no artesanato é quando a artesã calcula o tempo de trabalho, os custos de materiais e custos fixos, mas não acrescenta o lucro. O tempo dedicado à produção faz parte da conta, mas não é igual ao lucro.



Valor Recebido
Depois de ter calculado todos os custos principais e somar com o lucro pretendido (veja a tabela abaixo), é possível que os clientes ainda não considerem o preço apropriado. É neste momento que um aspecto não exato deve ser considerado: a percepção de valor. “Existe uma diferença muito grande entre preço e valor. No valor percebido, além do preço do produto, levamos em consideração os benefícios que ele possui. Se o seu produto tiver um preço menor que o benefício percebido, os clientes sentem que fizeram um bom negócio, mas talvez você esteja perdendo dinheiro por cobrar um preço abaixo do valor. Por outro lado, se o preço do seu artesanato for maior que o benefício percebido, o cliente terá uma experiência negativa e você perderá diversas vendas”, diz Moraes. O consultor aponta ainda que o valor percebido, por ser um aspecto subjetivo, muda de pessoa a pessoa.

Considerados os custos principais, o lucro e o valor percebido, é importante prestar atenção na concorrência para saber se o seu artesanato possuir diferencial ou é preciso investir mais em conhecimento e/ou novos benefícios aos seus clientes. “Converse com lojistas, clientes e vendedores. Enquanto você visita a loja, anote os diferenciais dos produtos do seu concorrente e tente entender o motivo que faz ser considerado “melhor” ou “pior” do que os seus. Analise os pontos fortes e fracos dos seus concorrentes e use isso a seu favor, agregando mais valor ao seu produto”, explica Moraes. Para ajudar você a proceder, confira a tabela abaixo de precificação e veja um exemplo de kit da Vitrine com as possibilidades de investimento, precificação e lucro.

Aspectos a serem considerados
  • Custos com materiais
  • Custos variáveis (dependem da venda)
- Exemplo: embalagem, etiqueta, gastos com propaganda, comissão para vendedores, taxas de vendas, entre outros.
  • Custos fixos
Exemplo: água, luz, telefone fixo, celular, internet, gás, registro de domínio na internet, contador, estoque, entre outros.
  • Impostos sobre a venda
Exemplo: ICMS, IPI, Simples Federal, entre outros.
  • Valor do frete ou outros gastos com a logística
  • Valor percebido
  • Lucro esperado
“De uma forma mais simples, o lucro é a quantidade ‘livre’ que sobrará de cada produto vendido”, afirma Glauber Moraes.

Como investir, precificar e lucrar com o kit da vitrine

Supondo que o kit adquirido da Vitrine fosse o de Aplique e Borde da Beth Matteelli, que custa R$299,40, você fará a seguinte conta:




·        Preço de venda das peças (em média)
-Sacola: R$ 40,00
-Toalha: R$ 25,00
-Pano de Copa com sapato: R$ 35,00
-Pano de Copa com gatinho: R$ 40,00
-Pano de Copa (demais modelos): R$ 50,00 cada
Total: R$ 340,00

Logo, você terá R$40,60 de lucro, uma vez que você comprou por R$299,40 e lucrou R$340,00.

Agora pensando na reposição deste mesmo kit, para produção de novas peças, você terá:

·        Custos dos materiais de reposição (em média)
-Panos de copa: R$ 65,40
-Sacola: R$12,50
-Toalha: R$ 3,78
-Tecidos: R$21,41
-Conjunto de termoriscos: R$ 11,90
-Termocolante: R$19,80
Total: R$ 134,52

Com o custo total de reposição no valor de R$134,52, vendendo os produtos no mesmo valor mencionado no exemplo anterior, onde o valor total da venda é de R$ 340,00, você obterá um lucro de R$ 205,48.

Assim, você pode perceber que o lucro será significativo na reposição.


Ainda tem dúvidas?
Fale conosco no facebook, iremos te ajudar com o maior prazer.

Para falar com o Glauber Moraes, consultor de Marketing Digital:

Texto por: Daniel Villela
Colaboração: Andrea Gonçalves

Postagens mais visitadas deste blog

Passo a passo de cartonagem - Porta Moedas

Olha só que porta moedas lindo! Vamos aprender a fazê-lo com este passo a passo incrível da Érika Martins?

1) Cole as duas partes de mesma largura num  papel sulfite, para fazer a coifa.
2) Deixe margem de 0,5cm entre elas.
3) Faça o mesmo com as outras duas partes,  repare que há dois tamanhos, um para a parte  interna e outro para aparte externa.
4) Passe cola no cartão e na com  bastante atenção para a coifa.
5) Use o rolinho para tirar o excesso de cola e  evitar manchas no tecido.
6) Cole o tecido no cartão.
7) Com a espátula, marque bem a coifa.
8) Alise bem o tecido para evitar bolhas.
9) Nas pontas quadradas, corte o excesso de tecido  na diagonal, deixando uma pequena margem.
10) Na parte redonda faça picotes  com a ponta da tesoura.
11) Passe cola e vire as bordas do tecido,  com ajuda da espátula.
12) Faça o mesmo para a parte  interna e a externa também.

O que é cartonagem?

Vamos falar sobre Arte, vamos falar um pouco mais sobre a CARTONAGEM!
A cartonagem é uma técnica que possibilita a confecção vários objetos utilitários e decorativos. Usando como base o papel cartão cinza, de gramaturas variadas e cola branca. A forração dos projetos pode ser tanto em papel quanto em tecido.
Essa semana esteve no programa Arte Brasil a artesã Claudia Wada (http://cursosbyclaudiawada.blogspot.com/) que nos trouxe uma idéia de carteira incrível, usando a técnica de cartonagem. Olha que linda a peça que ela criou:




Gostou?
Linda né? e é muito fácil produzi-la, basta ter os materiais necessários e seguir o passo-a-passo. 
Saiba como adquirir os materiais para a produção deste kit clicando aqui http://migre.me/41Qt5


Um ótimo final de semana e até a próxima





Passo-a-passo exclusivo Almofada em Capitonê

Confira a seguir um passo-a-passo exclusivo de uma almofada lindíssima em ponto Capitonê.

Para produção da peça, você irá precisar: - 1,10 M DE TECIDO OXFORD;
- RÉGUA PARA CAPITONÊ DE 3 CM;
- AGULHA DE COSTURA;
- LINHA DE COSTURA NA COR DO TECIDO;
- 50 CM DE TECIDO TNT;
- MANTA ACRÍLICA SILICONADA;
- ZÍPER (DE 35 A 40 CM).

Passo-a-passo: Medidas:
Para parte da frente usar 64X64 cm, para quadricular de 3cm , mais 5m de borda de cada lado (total 74X74 cm)
Para parte traseira, após terminar o trabalho, medir e cortar a quantidade necessária , deixando a margem de costura das laterias e do Zíper

Risco: